segunda-feira, setembro 21, 2015

Desculpe a demora!

Boa noite gente! Tudo bom?

Na verdade este será apenas um post pequenininho para dizer que eu não esqueci de vocês!

Para quem não sabe, eu administro este blog sozinha, e com a minha última prova da validação chegando (novembro), estou sem tempo para nada!

Conforme eu for encontrando tempo, vou postando e respondendo os comentário e emails, ta bom?

Para todos que me mandam emails, pedindo ajuda pois seus animaizinhos estão doentes, ou se comportando estranho, peço que levem-os ao veterinário o quanto antes!

Irei responder todo mundo, mas isso pode demorar um pouco. Depois de novembro prometo colocar tudo em dia rapidinho!


Obrigada pela paciência e compreensão!

Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, setembro 04, 2015

Medicina básica de peixes

Quem aqui (além de mim hehe) é apaixonado por medicina de peixes? Mas você tem alguma ideia de como funciona um atendimento veterinário nesses animais?


Para começar é isto que você precisa:
Microscópio
Lâminas de microscópio
Tesoura pequena
Luva de látex sem talco
Kits para testar qualidade da água
Probe para avaliar temperatura da água
Material para anestesia - caso seja necessário anestesiar o animal.
E claro.... muito amor e cuidado :)

Se o proprietário for levar o peixe à clínica, ele deverá colocar o animal em um contêiner cheio de água, de características semelhantes à do seu aquário. E também deverá levar um potinho com a água do aquário para avaliarmos a qualidade.

Quando o paciente chegar, você deverá fazer uma anamnese completa: tipo de filtragem, tipo de sistema, aeração, alimentação, tamanho do aquário, quantos animais e quais espécies vivem nele, práticas de quarentena, fotoperíodo... e o que mais julgar necessário.

Examine o peixe a distância e observe: comportamento, se está no fundo ou na parte de cima do aquário (o "normal" varia com a espécie observada), se esta se esfregando em objetos, se apresenta "tosse", se vai até a superfície a procura de ar..... resumindo, observar tudo o que o peixinho está fazendo. Nesta parte você já terá várias dicas de qual afecção está acometendo o seu paciente.

O exame físico deverá ser rápido (menos de um minuto), e caso necessário o animal deverá ser anestesiado (mas na maioria das vezes é possível fazer com o peixe acordado). Use luvas de látex sem talco para examina-lo e o capture com uma redinha própria para peixes.
Observe mudança de coloração, levante o opérculo e observe as brânquias, lesões oculares ou orais, aumento de volume da cavidade celomática, aparência das nadadeiras.... 

Exames complementares são muito úteis para auxiliar diagnóstico, entre eles estão:

Coleta de sangue (veia ou artéria caudal): possível em peixes > 8cm; pode coletar com segurança 1% do peso corporal (ex: de um peixe de 100g pode ser coletado 1 ml).


Coleta de líquido celomático: se apresentar aumento de volume na região.

Amostra das brânquias: avaliação em microscópio, pesquisa de parasitas, alterações de morfologia.

Lâmina com amostra de muco da pele: avaliação em microscópio para pesquisa de parasitas, fungos e bactérias.

A partir daí vocês já terão informações suficientes para começar o tratamento deste paciente diferente! Mas o mais importante de tudo é estudar muito e conhecer as diferenças entre as espécies!

Aos proprietários: se o seu peixinho está estranho procure um veterinário especializado, para que tenha o melhor tratamento possível.

Espero que vocês tenham um feriado maravilhoso!
Verônica Pardini, DVM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...