terça-feira, junho 16, 2015

Rir é o melhor remédio

Uma das coisas mais agradáveis da vida é dar aquela risada sincera, ou fazer alguém rir, não é mesmo?

Mas será que os animais também podem rir? 

Comprovadamente primatas do velho mundo (chimpanzés, gorilas, orangotangos) e ratos podem!


Em 2009, a psicóloga Marina Davila Rossa da Universidade de Portsmouth conduziu um experimento: ela fazia cócegas em jovens primatas do velho mundo e observava a sua reação....e não é que eles riam?- Ou como ela chamava: eles faziam "vocalizações induzidas pela cócega". 


Agora no seu último experimento ela demonstrou que chimpanzés conseguem sorrir - gostei da linha de pesquisa dela hehe

Já a psicóloga Jaak Panskepp, da Universidade de Washington, descobriu que ratos emitem barulhinho de felicidade quando submetidos a um "tratamento de cócegas" - o mesmo barulhinho (que nós humanos não conseguimos ouvir) de quando estão brincando.



Alguns ratos gostaram tanto das cócegas, que quando a "mão" parava, eles iam atras dela para que continuassem a fazer cóceguinha.


Mas qual a importância de tudo isso? Estes estudos já ajudaram a desenvolver antidepressivos para os seres humanos e nos ajudaram a entender melhor as emoções humanas.

Boa semana a todos!
Verônica Pardini, DVM



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, junho 09, 2015

Mastite em Coelhos

Há uma semana eu estou medicando uma coelhinha muito linda, chamada Priscila. A Priscila tem 5 anos e não é castrada, há algumas semanas ela desenvolveu mastite em 4 mamas, e agora esta no final do seu tratamento.


Quer saber mais sobre esta doença? Continue lendo!

Primeiro de tudo, você deve saber que existe a mastite infecciosa e a mastite cística.

A mastite infecciosa ocorre geralmente em fêmeas lactantes ou com gravidez psicológica.

Algumas situações que predispõe essa infeção são: sujeira do ambiente, excesso de leite na lactação, machucado nas mamas. 

É importante lembrar que a mastite pode ocorrer junto com afecções uterinas, como a metrite.

Os sinais clínicos variam conforme a intensidade e a duração da mastite, podendo observar, apatia, anorexia, febre, excesso de ingestão de água, septicemia, morte. As mamas geralmente estão vermelhas, firmes, doloridas e edemaciadas - lembre-se: as mamas são interligadas, então a infecção pode ser espalhada de uma mama para as outras.


Para um tratamento mais direcionado é aconselhado a cultura e antibiograma da secreção obtida das mamas, que deverão ser tratadas com antibiótico específico.

O veterinário responsável pelo caso poderá julgar necessário a utilização de antiinflamatórios, analgésicos, fluidoterapia, suporte nutricional, desinfecção do ambiente, aplicação de bolsas de água quente e massagem das mamas afetadas. Em casos mais graves a retirada das mamas poderá ser necessária. A castração é sempre recomendada.

No caso de fêmeas lactantes é importante separar os filhotes, uma vez que eles podem adoecer e morrer ao mamar deste leite.


No caso da mastite cística, as fêmeas geralmente estão em um bom estado geral. As mamas também ficam edemaciadas e firmes, mas não são doloridas e o liquido drenado é serosanguinolento.


Esse tipo da doença muitas vezes esta associada ao adenocarcinoma e a hiperplasia uterina, e o mais importante: a mastite, se não tratada, pode evoluir para um tumor mamário.

O tratamento de escolha é a castração, e se necessário excisão das glândulas afetadas.

Dica importante: a mastite (seja cística ou infecciosa) raramente ocorre em fêmeas castradas, então lembre-se: a castração pode prevenir muitas doenças no seu coelhinho.

Bom final de tarde!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...