segunda-feira, outubro 06, 2014

Junior, o tatu-galinha

Quem me acompanha pelo facebook já sabe que eu tive um visitante muito especial no final da semana passada, e hoje estou aqui para falar um pouquinho dele!

O junior foi encontrado largado no meio de um terreno já com formigas e pulgas pelo corpinho. Quando chegou ao hospital eu jurava que ele estava morto, até que comecei a examiná-lo e a tirar esses parasitas .... e para a minha surpresa o tatuzinho começou a reagir.

Ele logo foi colocado sob aquecimento e alimentado a cada 2 horas. Para a minha felicidade e a de todos da equipe, aos poucos ele foi ficando mais espertinho!

Como ele teria que passar a noite com cuidados intensos, resolvi leva-lo para a minha casa! De repente ele já estava tentando fugir da caixa que nós havíamos arrumado para ele e por incrível que pareça ele começou a correr pelo apartamento!

Muitas pessoas me perguntaram o motivo pelo qual eu não mantive ele como o meu bichinho de estimação, aqui vão os motivos:

1. É um animal silvestre com possibilidade de reintrodução a natureza.
2. Pode transmitir lepra ao ser humano.
3. Eu moro em apartamento.

Acho que eu poderia parar no primeiro motivo! Ficar com um animal só porque ele é "fofo e bonitinho" é puro egoísmo da nossa parte. Portanto se você encontrou um animal silvestre que precisa de cuidados procure um veterinário de animais silvestres, ele vai te indicar a melhor maneira de lidar com essa situação!

Mas chega de blá blá blá! Aqui vai um vídeo do tempo que eu passei com esse animalzinho lindo!


Boa semana a todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Parabéns pelo salvamento do pequeno e inofensivo ser!
    Que Francisco de Assis te acompanhe todos os dias!
    Vovô Alfredo

    ResponderExcluir
  2. Parabéns doutora!
    O Júnior deve ter ficado contente com o socorro recebido.
    Espero que ele consiga sobreviver.
    beijos
    Vovô Alfredo

    ResponderExcluir
  3. Apaixonada pelo Junior e pelo seu trabalho. Essas experiências que me inspiram a querer ser Med.Veterinária

    ResponderExcluir