segunda-feira, agosto 25, 2014

Guia do proprietário de primeira viagem: Papagaio-verdadeiro (Introdução)

Bom dia galera,

Hoje é dia de falar do famoso "Loro".
Você tem um papagaio? Legal! Mas você o conhece direito? Confira alguns dados abaixo:
  • Essa ave encantadora pesa cerca de 400g e cresce aproximadamente 35cm.
  • Com os cuidados ideais o seu papagaio pode chegar aos 80 anos!
  • É um animal sociável, que na natureza voa em casal ou em bandos.
  • Comparado com outros papagaios, é a ave com mais capacidade de falar - eles aprendem palavras e frases e sabem em que contexto usá-las.
  • Não é possível diferenciar o macho da fêmea através da coloração - é necessário fazer a sexagem pelo DNA.
Mas o mais importante de tudo é saber que centenas deles são capturados clandestinamente - NÃO SUPORTE O TRÁFICO DE ANIMAIS! COMPRE APENAS ANIMAIS LEGALIZADOS! Ok?

Boa semana a todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, agosto 18, 2014

"Matando Keiko: A verdadeira história do retorno da Free Willy à vida selvagem"

Keiko ("sortuda" em japonês) é o nome da Orca que ficou conhecida como "Willy" no famoso filme "Free Willy" - 1,2 e 3.


A vida da famosa Orca não foi tão glamurosa como a vivida no filme. Keiko foi capturada da natureza em 1979 aos 2 anos de idade, e a partir de então viveu em cativeiro. 

Depois das filmagens a baleia foi vendida à um parque aquático no México, e é aí que a maior parte dos seus problemas começaram.

Keiko foi sempre um animal de saúde mais frágil, mas que piorou muito depois da sua estadia no México. Ativistas e muitas pessoas se comoveram com o caso e campanhas foram feitas para "libertar Keiko".

12 milhões de dólares foram gastos durante os dois anos de reabilitação.  



Finalmente em 1998 a "Free Willy" voltou a natureza, nas geladas águas da Islândia e Noruega. Cinco anos depois ele morreu de pneumonia.

 

Até os dias atuais a volta de Keiko à natureza era divulgada como um "dos grandes sucessos da reabilitação", mas um dos treinadores envolvidos no processo resolveu contar o que realmente aconteceu.

"Killing Keiko: The True Story of Free Willy's Return to the Wild" ("Matando Keiko: A verdadeira história do retorno de Free Willy à vida selvagem"), de Mark Simmons foi lançado para mostrar que o "sucesso da reabilitação" não foi real, pois Keiko nunca viveu como uma baleia selvagem. 


O autor afirma que a operação foi sabotada por organizações que buscavam um "final hollywoodiano"

"A decisão (de libertá-lo) nunca foi feita para o interesse de Keiko", garantiu Simmons, que escreve em seu livro que Keiko se tornou uma baleia solitária e assustada, "condenada a fome, desidratação e morte".

Orcas são animais sociais, e devem participar de um círculo para sobreviver. Por causa dos esforços "mal orientados" pelos encarregados pela libertação de Keiko, o primeiro contato da baleia com outras orcas foi traumático, Simmons escreve. Keiko foi apresentado a um círculo governado por um macho agressivo e maior. Além disso, as baleias do ambiente acabavam submetidas sistematicamente a biópsias, que as estressavam.

Após a sua libertação, Keiko foi da Islândia até os fiordes da Noruega, onde foi procurar companheiros humanos e onde crianças podiam ser vistas nadando com ele e subindo em suas costas. Ele nunca se juntou a outras orcas e viveu sob cuidados humanos até a sua morte.

O que realmente aconteceu nunca iremos saber com certeza, a única coisa que podemos fazer é ler sobre o assunto e criar nossa própria opinião - desculpa pelo post longo!

Boa semana para todos!
Verônica Pardini, DVM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, agosto 12, 2014

Voa Voa coisinha mais fofa!

Eu tive um ótimo final de semana e um começo de semana também, por isso estou no clima de deixar todo mundo de bom humor através de um dos posts mais fofos já publicado aqui no blog.

Quem aqui já ouviu falar sobre o "esquilo anão voador japonês"?


Esta criaturinha trabalhada na fofura não passa de 220gramas e 34cm (considerando já um rabinho de 14cm).


São animais noturnos (obviamente pelo tamanho dos seus olhos) que dormem em buracos nas arvores durante o dia e comem frutinhas, sementes, folhas e madeira durante a noite.


E por último.....não podia faltar uma foto desse esquilinho voador....VOANDO!


Uma ótima semana para todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, agosto 04, 2014

Guia do proprietário de primeira viagem: Aves - Qualidade da água

Sempre que atendo uma ave, procuro conhecer todo o manejo da mesma, já que a maioria das doenças podem ser evitadas (ou minimizadas) através de um manejo correto.

Uma parte desse manejo, muitas vezes negligenciada pelo proprietário é a qualidade da água.


 A qualidade da água oferecida à sua ave é de extrema importância, já que ela é essencial para a termorregulação, manutenção de fluídos intra e extracelulares, transporte de nutrientes, entre mil e outras funções.  

A água, por si só, já propicia um ambiente bom para o crescimento bacteriano, mas algumas situações podem otimizar essa proliferação, como por exemplo:
  • Um bebedouro aberto (que muitas vezes pode ser contaminado por fezes e/ou comida), tem uma rápida proliferação de bactérias
  • A água suplementada com vitaminas pode ter a contagem de bactérias aumentada em 100% em 24horas.
  • Comidas com alto teor de água como "papinhas de filhotes", mistura com farinha de ovos, frutas e vegetais são ambiente excelentes para a proliferação de bactérias. Em temperaturas mais quentes esses alimentos pode se tornar contaminadas em menos de 4 horas.
Por esses motivos, trocar a água e lavar o bebedouro diariamente, ou de preferência a cada doze horas, evita que o número de bactérias aumente exageradamente.

Além disso, é importante não deixar os alimentos úmidos expostos por tempo prolongado.

Uma última observação importante: A quantidade de água ingerida está diretamente relacionada com a dieta oferecida - dietas baseadas em ração, por serem mais secas, com baixo teor de gordura e com mais nutrientes aumenta a quantidade de água ingerida.

Boa noite,
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, agosto 01, 2014

Mike, o frango sem cabeça

Já li muitas histórias bizarras, mas essa conseguiu me impressionar. Peço a todos aqui que tem o estômago fraco, para não continuar lendo este post.



Para os que não se impressionam facilmente, eu lhes apresento Mike, o frango sem cabeça.


Tudo começou em setembro de 1945, quando a família Olsen decidiu comer frango no almoço. O marido, Lloyd Olsen, foi até o quintal achar o frango mais gordinho para a refeição, Mike foi o escolhido.

Como de costume, Lloyd colocou o frango em uma mesa, preparou o seu machado e deu o golpe, que deveria ter sido fatal.

Mas algo muito estranho aconteceu, Mike logo se levantou e começou a andar e fazer o que todo frango faz - se empoleirar, ciscar e todo o resto.

 
Lloyd ficou surpreso quando acordou no dia seguinte e viu a ave "dormindo"! Naquele momento ele percebeu que Mike era especial e já que o franguinho tinha tanta vontade de viver, ele iria dar um jeito de dar água e comida para o frango - através de um conta gotas.


A universidade de Utah estudou o animal, e eles descobriram que o machado errou a jugular, e que um coagulo evitou que Mike sangrasse até a morte, outras duas estruturas foram poupadas: um dos ouvidos e a mais importante, o tronco enfefálico - este último permitiu que o animal continuasse saudável e vivendo como um frango normal.

Mike viveu bem e com saúde por 18 meses, ele só faleceu, pois em uma noite durante a sua turne, ele acabou engasgando e Lloyd não achou o conta gotas para salva-lo.

Todo mês de maio a cidade de Fruita, no Colorado celebra a vontade de viver do frango com o "Annual Mike, The Headless Chicken Festival" .

Que história, né?
Bom final de semana para todos.
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...