terça-feira, fevereiro 25, 2014

Toxoplasmose e Leptospirose em mamíferos marinhos


Bomm dia minha gente! O "calorzinho" (haha) voltou, e não tem nada que eu queira mais do que tomar um banho de mar.... mas como isso não será possível, contarei para vocês sobre duas doenças conhecidas que também acometem mamíferos marinhos.

Toxoplasmose: 

Agente: Protozoário – Toxoplasma gondii.

T. gondii
Acomete: leões marinhos, lobo marinhos, golfinhos, lontras.


Transmissão: Exposição ao protozoário por contato com fezes de gato contaminadas com oocistos.


Sintomas: amígdalas aumentadas, diminuição na vocalização, lesões cutâneas brancas no interior (parte ventral) das nadadeiras, letargia, anorexia, convulsões, abortos, dificuldade de locomoçao, morte.

*Pode causar encefalite.


Diagnóstico:
  • Hemograma: linfocitose, trombocitopenia.
  • Sorológico: procura de anticorpos.
  • Histologia: coração, fígado, intestino e pulmão – infiltração de células inflamatórias (mononucleares), presença de taquizoítos, aglomerados de protozoários.

Tratamento: só são tratados quando os sinais clínicos tornam-se severos.

  • Antibióticoterapia (Amoxicilina com ácido clavulânico)
  • Corticóide (Prednisolona).

** Mais de 17% das mortes de lontras marinhas são atribuídas à toxoplasmose.


Leptospirose (zoonose):


Agente: Bactéria – Leptospira interrogans (Pomona é o sorovar mais comum).

L. interrogans serovar pomona
Acomete: pinípedes - até hoje não há relata em cetáceos.

Transmissão: Exposição a água doce contaminada por esta bactéria - contaminação por urina de roedores silvestres infectados.
*A bactéria não sobrevive em contato com sal.

Sintomas: dor abdominal (contrai o abdômen), nadadeiras posteriores dobradas em direção ao abdômen, bebe muita água doce, poliúria com urina diluída, sem tratamento o animal se torna nefropata, febre. Animais com dificuldade de reprodução.

Esquerda: um rim de leão marinho saudável. Direita: rim de um leão marinho severamente afetado por leptospitose.
 Diagnóstico:
  • Leucograma: leucocitose.
  • Sorologia: teste microscópico de aglutinação.
  • Bioquímica: azotemia.
Necropsia:
  •  Rins pálidos e aumentados, vesícula urinária distendida por excesso de urina.
  • Vesícula biliar edemaciada, distendida por acumulo de bile.
Tratamento:
  • Tetraciclina.
  • Doxiciclina.
Um ótimo dia para vocês!
Verônica Pardini, DVM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário