terça-feira, dezembro 30, 2014

A jornada rumo ao sonho americano (CPE Application)

Gente do céu.....pensa em alguém que esta surtando! Essa pessoa sou eu! Sabe o que eu acabei de fazer? Acabei de marcar o CPE (a prova prática do ECFVG e a minha última prova nesta jornada - nem acredito!!)..... em exatamente 10 meses terei os 3 dias mais estressantes da minha vida!
 
Bom, voltando ao tema do post, estou aqui para contar para vocês sobre a "application" do CPE (Clinical Proficiency Examination). Sinceramente não tem muito o que contar porque é realmente muito simples.

Primeiro eles pedem para você atualizar as suas informações básicas (telefone, endereço...blá blá blá), se não tiver nada para arrumar é só clicar em "próximo".

Na página seguinte vem um pequeno contrato, basicamente tirando qualquer responsabilidade da AVMA caso o estudante sofra alguma lesão corporal durante o exame e também explica que não será devolvido o dinheiro do "fee" caso você não apareça no dia da prova e que não é permitido mudança na data do exame, no final você apenas escreve as suas iniciais e parte para a penúltima página.

Agora você precisa apenas escolher a data e o local da prova, eles te dão várias opções de data e três opções de universidade para realizar o exame: Western Veterinary Conference Oquendo Center, Mississippi State University College of Veterinary Medicine e a Tuskegee University School of Veterinary Medicine (eu escolhi a Western Veterinary Conference Oquendo Center, em Las Vegas).

Depois de escolher é só pagar 1000 dólares (eles aceitam cartão de crédito), e você está inscrito!

Lembre-se que o restante do "fee" deve ser pago até 60 dias antes da prova!
Infelizmente o "fee total" para esta prova aumentou:
2015 - 6400 dólares
2016 - 6600 dólares

Depois de inscrito no CPE a sua página no ECFVG fica assim: 


É isso...simples.....mas extremamente assustador fazer essa application! Daqui para frente vou contando para vocês como estou estudando para esta prova!
Beijo e um ótimo 2015 para todos!!

Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, dezembro 23, 2014

Deficiência de vitamina E em aves

Ufa! Finalmente estou de volta depois de duas longas semanas  - mais pareceu uma eternidade!

Eu estava aqui pensando no que postar, quando recebi uma ligação para retornar ao hospital veterinário para atender uma calopsita, e no final das contas esse atendimento me inspirou a falar sobre mais uma doença causada por alimentação errada.



A vitamina E é um importante antioxidante, e sua função principal é ajudar a eliminar radicais livres - estes radicais livres prejudicam células, tecidos e órgãos.
Além disso, a vitamina E é necessária para um sistema reprodutor, um sistema imune e um sistema nervoso saudável - ajuda a produzir anticorpos e a transmitir impulsos nervosos da maneira correta

A deficiência desta vitamina pode ocasionar:
  • Cardiopatias - "doenças no coração".
  • Distrofia muscular (caso tenha deficiência de selênio também) - "enfraquecimento dos músculos".
  • Paralisia das patas.
  • Tremores musculares.
  • Encefalomalácia - "amolecimento cerebral".
  • Incoordenação.
  • Morte embrionária.
  • Infertilidade.
A falta de vitamina E pode ser causada por alimentação errada (rançosa, insuficiente em vitamina E, excesso de vitamina A).

O tratamento consiste em suplementação da vitamina E e melhora da alimentação, mas deve-se ter consciência que dependendo do grau das lesões não é possível revertê-las.

Bom natal para todos!!
Beijo enorme!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, dezembro 02, 2014

O filhote de Corujinha-do-mato

Semana passada tive um paciente muito especial.....e novamente o final foi feliz :)

 A Corujinha-do-mato foi encontrada dentro da piscina de uma pessoa que mora aqui na região...para sorte da corujinha ela foi achada rapidamente e trazida para cuidados intensivos.

Logo que chegou ao hospital vi que estava muito debilitada e com água saindo das narinas e da boquinha, além de estar hipotérmica e hipoglicêmica.

Ela foi colocada sob aquecimento, o tratamento com medicamentos foi iniciado e ela foi alimentada a cada 2 horas.

Essa linda criaturinha ficou internada por 3 dias, e logo notamos a sua melhora! Ela estava aceitando bem a alimentação, estava interagindo e começando a "agir feito uma corujinha de verdade".

Assim como eu, o responsável por ela (quem a resgatou) também acreditou que o melhor destino para ela seria a reabilitação! Portanto logo logo ela estará voando livre por aí :)

Se você encontrou um animal silvestre que precisa de cuidados procure um veterinário de animais silvestres, ele vai te indicar a melhor maneira de lidar com essa situação!

Mas chega de blá blá blá! Aqui vai um vídeo do tempo que eu passei com essa corujinha!


Linda, não?
Bom resto de semana para todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, novembro 25, 2014

Deficiência de vitamina C (escorbuto) em porquinhos da índia

Para todos os amantes e proprietário de porquinhos da índia, hoje o assunto é importante para vocês!

"....Essa doença existe há séculos, mas ficou em maior evidência na época das grandes navegações. Quatro quintos da tripulação de Fernão de Magalhães e cerca de dois terços da tripulação de Vasco da Gama morreram de deficiência de vitamina C.
Hoje em dia essa doença ainda existe em países mais pobres e em pessoas que não se alimentam de frutas e verduras...."


Os porquinhos da índia, assim como nós, não conseguem sintetizar vitamina C. A falta desta vitamina pode causar hemorragias articulares (articulações edemaciadas), hemorragias gengivais, deformidades dentárias, a pelagem fica feia, o animal vocaliza como sinal de dor, o tempo de cicatrização aumenta, tem diarréia, estase gastrointestinal.... e no fim, se não tratado, pode morrer.

A. Edema e hemorragia em articulações. B. Aumento das junções costocondrais.
Eles precisam de 10-25mg/kg de vitamina C diariamente em sua alimentação, fêmeas prenhes necessitam de 30mg/kg/dia.

O diagnóstico é feito através do histórico, sintomas, exames radiográficos e lesões patológicas. Medição dos níveis de ácido ascórbico no sangue pode confirmar o diagnóstico.

Dependendo da gravidade da doença, o veterinário pode escolher fazer vitamina c injetável, ou suplementação via oral até acabar os sintomas.

Mas o mais importante é prevenir que o seu animalzinho tenha essa doença com uma alimentação saudável (leia o post para saber mais)!

Lembre-se este texto é para referência e aprendizado! Se o seu animal está "estranho" leve ele à um VETERINÁRIO especializado ok?
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, novembro 17, 2014

ARAV (Association of Reptilian and Amphibian Veterinarians)

Eu sei...eu sumi mais de uma semana! Mas vou te contar, os dias estão passando muito rápido! Mas agora consegui um tempinho para passar aqui e ajudar os amantes de répteis e anfíbios!

Vocês já ouviram falar sobre o ARAV (Association of Reptilian and Amphibian Veterinarians)?


Essa associação internacional que foi criada há apenas há 23 anos (mais nova do que eu hehe) tem como objetivo juntar veterinários, estudantes de veterinária e herpetologistas em um mesmo local para trocar informações sobre esta área da veterinária e de pets exóticos que está em ascensão.

Cá entre nós, achei o site deles um pouco pobre, acredito que com mais informações básicas para non-members eles chamariam atenção de mais pessoas.

Algumas coisas que achei interessante no site:
  • Eles mostram vagas de emprego para especialistas em répteis e anfíbios.
  • Eles mostram vagas de estágio, internato e residência na área -  infelizmente ainda não são muitas.
Para todos apaixonados por esta área, o ARAV tem conferencias todos os anos (neste último foi em conjunto com o AAZV - assim que eu conheci eles!)

Se interessou? Entre no site, vá em uma conferência e/ou vire um membro! Vamos ajudar a expandir uma área tão mágica da veterinária!

Como não querer cuidar de animais tão carismáticos!? Olha a carinha destes répteis!

Phrynocephalus mystaceus
Pogona vitticeps
 E esse simpático anfíbio!

Ambystoma mexicanum

Boa noite a todos!
Verônica Pardini, DVM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, novembro 05, 2014

Alimentando raias

Hoje é dia de vídeo!!

Muitos sonham em ter um contato mais próximo com animais selvagens! Mas é sempre importante conhecer as espécies que estamos lidando para aproveitar estes encontros o máximo possível e de maneira segura!

Em um dos poucos dias que eu tive livre nestas últimas férias, decidi ir com a minha mãe até a Sea World. Depois que eu me formei ela começou a simpatizar cada vez mais com o mundo animal, e hoje em dia não perde a oportunidade de interagir com um animalzinho diferente! Desta vez ela decidiu alimentar as raias!

Resolvi fazer um vídeo mostrando a maneira correta de alimentá-las! Quer ver? É rapidinho! Só clicar no play!



Bom resto de semana para todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, outubro 31, 2014

A medicina veterinária e o equílibrio pessoal

BOM DIA GENTE!!!

Sim, voltei!! E não sei nem por onde começar a contar sobre as experiências maravilhosas que eu tive durante estas semanas!! Tirei tantas fotos, fiz tantos vídeos, ouvi tantas coisas interessantes....

Mamãe e eu com o Tico e Teco no Animal Kingdom
 Acho que nada melhor do que começar contando sobre a palestra que eu mais gostei!

Tivemos "milhares" de palestras excelentes sobre medicina, terapia intensiva, anestesia..... mas as que mais me chamaram a atenção não eram relacionadas a área técnica, mas sim a parte humana da medicina veterinária.

A discussão principal foi sobre qualidade de vida.

A medicina veterinária, para a maior parte dos profissionais na área, é muito mais que um "trabalho", é um sonho de infância, é uma paixão! Quando gostamos tanto do que fazemos não é difícil dedicar horas extras, dias extras, feriados extras à nossa profissão. Mas é exatamente aí que nasce o perigo. 

Muitas vezes essa dedicação extrema nos afasta de nossa família, dos nossos amigos, do nosso hobby. Não ter uma vida fora do ambiente do trabalho, por mais que você goste do que faça, pode levá-lo a depressão e algumas vezes até ao suicídio - em uma pesquisa feita nos EUA, cirurgiões veterinários são os profissionais da saúde que mais cometem suicídio.

Por isso é necessário equilíbrio. Quando estiver trabalhando dê o seu melhor, seja focado e produtivo! Mas evite sair fora do seu horário, evite trabalhar todos os finais de semana, evite deixar de ter tempo livre.

Estudos indicam que pessoas que possuem pelo menos dois dias livres na semana trabalham melhor e são mais felizes.

Eu sei que na teoria isso tudo é lindo, mas que por na prática é um pouco mais complicado. Muitas vezes as pessoas vão te olhar com cara feia, vão reclamar por você sair no horário e exigir dias livres....mas as mudanças tem que ocorrer, mesmo que seja aos poucos. Sua saúde mental, sua saúde corporal e as pessoas que você ama merecem esse equilíbrio entre vida pessoal e o seu trabalho.

Infelizmente este é um assunto que não é amplamente discutido ainda! Por isso estou aqui para começar a plantar a sementinha!

Bom dia das bruxas!!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, outubro 16, 2014

Finalmente FÉRIAS!

BOA TARDE GENTE!!!

Sabem o motivo na minha empolgação? Minhas férias começam agora!!
(Por isso eu abandonei vocês um pouquinho e vou abandonar alguns dias mais).

Hoje viajo para Orlando, Flórida para participar da AAZV ! Prometo contar tudinho para vocês assim que eu voltar!!

Peço desculpas à todos que estão me mandando emails e mensagens, vou demorar um pouco mais para responder! - mas prometo que assim que eu voltar dou sinal de vida :)


Um beijo enorme!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, outubro 06, 2014

Junior, o tatu-galinha

Quem me acompanha pelo facebook já sabe que eu tive um visitante muito especial no final da semana passada, e hoje estou aqui para falar um pouquinho dele!

O junior foi encontrado largado no meio de um terreno já com formigas e pulgas pelo corpinho. Quando chegou ao hospital eu jurava que ele estava morto, até que comecei a examiná-lo e a tirar esses parasitas .... e para a minha surpresa o tatuzinho começou a reagir.

Ele logo foi colocado sob aquecimento e alimentado a cada 2 horas. Para a minha felicidade e a de todos da equipe, aos poucos ele foi ficando mais espertinho!

Como ele teria que passar a noite com cuidados intensos, resolvi leva-lo para a minha casa! De repente ele já estava tentando fugir da caixa que nós havíamos arrumado para ele e por incrível que pareça ele começou a correr pelo apartamento!

Muitas pessoas me perguntaram o motivo pelo qual eu não mantive ele como o meu bichinho de estimação, aqui vão os motivos:

1. É um animal silvestre com possibilidade de reintrodução a natureza.
2. Pode transmitir lepra ao ser humano.
3. Eu moro em apartamento.

Acho que eu poderia parar no primeiro motivo! Ficar com um animal só porque ele é "fofo e bonitinho" é puro egoísmo da nossa parte. Portanto se você encontrou um animal silvestre que precisa de cuidados procure um veterinário de animais silvestres, ele vai te indicar a melhor maneira de lidar com essa situação!

Mas chega de blá blá blá! Aqui vai um vídeo do tempo que eu passei com esse animalzinho lindo!


Boa semana a todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, setembro 29, 2014

Guia do proprietário de primeira viagem: Papagaio-verdadeiro (Alimentação)

Como já disse algumas vezes por aqui, uma das maiores falhas no manejo dos papagaios é em relação a sua alimentação.


Hoje vou ensinar tudo o que pode e tudo o que não pode dar ao seu papagaio!
* E mantenha sempre em mente que é muito importante variar na alimentação!

70% de ração peletizada

25% de legumes; verduras (levemente cozidas ou cruas) ; grãos
  • Cenoura.
  • Batata doce.
  • Abóbora.
  • Ervilha.
  • Brócolis.
  • Soja.
  • Feijão. 
  • Arroz integral.
  • Espinafre.
  • Batata.
  • Abobrinha.
  • Pepino.
  • Repolho.
  • Milho.
  • Beterraba.
  • Entre outros....
5% de frutas:
  • Mamão.
  • Melão.
  • Manga.
  • Banana.
  • Maçã.
  • Figo.
  • Pera.
  • Abacaxi.
  • Laranja,
  • Morango.
  • Ameixa.
  • Pêssego
  • Kiwi.
  • Entre outros...
O que oferecer (bem) de vez em quando em pouca quantidade:
* Ofereça esses alimentos como forma de agrado.

  • Queijo.
  • Ovo.
  • Carne magra cozida.
  • Sementes: Na natureza o acesso a sementes é sazonal e a variedade de sementes é enorme. Já as misturas de sementes compradas, quando oferecidas como uma única fonte de alimentação causa uma dieta não balanceada, já que muitas vezes o papagaio só come as sementes que ele mais gosta (como por exemplo: amendoim e sementes de girassol) - clique aqui para ler mais sobre as sementes de girassol. 
O que nunca oferecer ao seu animal:
  • Abacate.
  • Sementes das frutas.
  • Cafeína.
  • Chocolate.
  • Álcool.
Entenderam? Qualquer dúvida é só entrar em contato!
Boa Noite!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, setembro 22, 2014

9 fatos sobre rinocerontes que farão você querer salvá-los

Um tema que está em alta essa semana - mas que no meu ver deveria estar em alta todos os dias de todos os anos até que a situação fosse resolvida - é a caça ilegal de rinocerontes.

Não sabe muita coisa sobre o assunto? Então leia o post que eu fiz sobre o tema um tempinho atrás: Salve os Rinocerontes.

Hoje eu vi uma lista e resolvi compartilhar com vocês: "9 fatos sobre rinocerontes que farão você querer salvá-los":

(Não que eu ache que motivos são necessários para querer que uma espécie não desapareça do planeta, mas não custa nada dar uma incentivada, né?)

1. Eles são mais rápidos que o Usain Bolt.


Em 100 metros um ser humano pode alcançar até no máximo 37km/h, já os rinocerontes chegam a impressionantes 45km/h, mais impressionante ainda é ser veloz e.....

2. ..... Ser do tamanho de uma SUV!



O maior rinoceronte, o rinoceronte branco, chega a pesar quase 3 toneladas.

3. São animais muito antigos!


As primeiras espécies de rinocerontes datam de 50 milhões de anos atrás - alguns tinham pelos.

4. Se comunicam através de uma variedade de sons e de fezes.


Eles bufam quando estão bravos, grunhem quando estão confusos e até possuem um som característico para se cumprimentarem! Ah...as fezes servem para marcar território.

5. Eles fazem o próprio protetor solar.


Eles rolam na lama por horas, e essa lama impede queimaduras solares e picada de insetos!

6. Existe 5 espécies de rinocerontes.


O de java, o de sumatra, o branco , o indiano e preto- todos possuem uma coloração de pele acinzentada.

7. Os chifres são impressionantes!


Mas eles são compostos apenas de queratina - as mesmas fortes proteínas que compõe a unha e o cabelo humano. Outros animais tem chifres compostos de osso e queratina.

8. Os chifres são impressionantes especialmente quando estão presos ao rinoceronte.


Por causa de mitos dos milagres do pó de chifre de rinoceronte na medicina oriental (sim, mitos, pois já foram provados falsos), pelo status de possuir um chifre de rinoceronte em lugares como o Vietnã, a caça ilegal desses animais ainda ocorre em grande quantidade. E isso se torna pior porque....

9. .... Os rinocerontes são mais raros do que você imagina!


O rinoceronte preto, o de sumatra e o de java são considerados "Criticamente ameaçados" - com uma população de menos de 50 rinocerontes na natureza, o rinoceronte de java é um dos animais mais raros do planeta.

Espero que a gente vença mais essa batalha, e que meus netos possam conhecer esses animais maravilhosos!

Boa noite!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, setembro 15, 2014

O sapo mais fofo do mundo!

Leu o título? Infelizmente não fui eu que inventei, na verdade esse sapinho ficou conhecido depois que o fotógrafo Dave Boshoff o filmou fazendo um barulho que lembra uma criança pisando em um bichinho de borracha.

Não acredita? Aperte a play e escute!



Adorável, não é mesmo?

Mais adorável ainda é saber que esse é o som que ele usa para afastar outros animais do seu território - assustador! hehe

(Ah esqueci de falar que ele é tão assustador, quanto é grande).


O "Desert rain frog" (Breviceps macrops) mora na costa da Namíbia e da África do Sul. Ele passa a maior parte do dia enterrado na areia, onde é fresco e úmido, e sai a noite para comer insetos e larvas.


Seu status na IUCN é de "vulnerável" devido a perda de habitat para exploração de minas de diamantes e construção de rodovias.

Boa noite a todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, setembro 08, 2014

Salmonelose em Jabutis, Cágados e Tartarugas - Zoonose

Antes de começar, preciso perguntar: Vocês sabem a diferença entre o Jabuti, o Cágado e a Tartaruga? Não? Então é só clicar aqui para descobrir!

Agora vamos ao tema do post!

Uma das doenças zoonóticas (= que pode ser transmitida aos seres humanos) mais comum nos quelônios é a salmonelose.

A maior parte destes animais possuem a salmonella como microorganismo normal da sua flora intestinal.



É praticamente impossível garantir que um quelônio é livre de Salmonella, pois a maioria dos testes tem altos índices de falso-negativo - então ao lidar com eles, devemos presumir que todos são positivos, ok?

Esses falsos-negativos ocorrem, pois estes animais podem se tornar latentes, isso quer dizer que eles ainda possuem a Salmonella, mas eles não estão eliminando o patógeno, ou estão o eliminando em quantidades muito baixas.

Se você tem um quelônio e quer muito fazer um exame para saber se ele é portador de Salmonella, uma opção é fazer uma cultura fecal a cada 6 dias em um período de 30 dias, mas lembre-se, por menor que seja, ainda existe a chance do resultado ser um falso-negativo.

Tratar animais positivos sem sintomatologia clínica não é recomendado, uma vez que este tratamento pode causar maior resistência da Salmonella aos antibióticos utilizados - todos os experimentos visando eliminar a Salmonella dos quelônios falharam.

O animal SÓ DEVE SER TRATADO QUANDO APRESENTAR SINTOMAS. 



Antes prevenir do que remediar não é? Então aqui vão algumas dicas:
  • Mulheres grávidas, pessoas imunodeprimidas e crianças com menos de 5 anos não deveriam ter contato com répteis.
  • Todos devem lavar as mãos com sabão e água quente imediatamente após manipular o animal ou o seu terrário.
  • Répteis não devem ficar em locais onde comida é preparada (ex: cozinha).
  • Não lavar as vasilhas de comida, água e banho na pia da cozinha.
Um ótimo final de tarde!
Verônica Pardini, DVM

Ah esqueci de contar, a salmonelose nos seres humanos causa diarreia, dor abdominal, vômitos e febre....a intensidade varia de uma pessoa para outra. Então melhor prevenir né?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, setembro 02, 2014

Big Cats, por Vincent J. Muse

Boa noite pessoal!!

Antes de mais nada só quero lembrar à todos que me mandam emails, mensagens e comentários que eu respondo em até 30 dias, ok?

Hoje é dia de apreciar a beleza dos grandes felinos! Como vocês já sabem, eu adoro achar bons fotógrafos da vida selvagem.... e hoje vou-lhes apresentar o Vincent J. Muse! Este fotógrafo da Carolina do Sul (EUA) trabalha para a National Geographic (chato né?).

Confira algumas fotos da série intitulada "Big Cats":

Onça-Pintada
Leão
Leopardo das Nuvens
Leopardo das Neves
Tigre
Guepardo
Trabalho MARAVILHOSO!! Animais belos e fantásticos, vistos com todos os seus detalhes!
Espero que vocês tenham gostado tanto quanto eu!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, agosto 25, 2014

Guia do proprietário de primeira viagem: Papagaio-verdadeiro (Introdução)

Bom dia galera,

Hoje é dia de falar do famoso "Loro".
Você tem um papagaio? Legal! Mas você o conhece direito? Confira alguns dados abaixo:
  • Essa ave encantadora pesa cerca de 400g e cresce aproximadamente 35cm.
  • Com os cuidados ideais o seu papagaio pode chegar aos 80 anos!
  • É um animal sociável, que na natureza voa em casal ou em bandos.
  • Comparado com outros papagaios, é a ave com mais capacidade de falar - eles aprendem palavras e frases e sabem em que contexto usá-las.
  • Não é possível diferenciar o macho da fêmea através da coloração - é necessário fazer a sexagem pelo DNA.
Mas o mais importante de tudo é saber que centenas deles são capturados clandestinamente - NÃO SUPORTE O TRÁFICO DE ANIMAIS! COMPRE APENAS ANIMAIS LEGALIZADOS! Ok?

Boa semana a todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, agosto 18, 2014

"Matando Keiko: A verdadeira história do retorno da Free Willy à vida selvagem"

Keiko ("sortuda" em japonês) é o nome da Orca que ficou conhecida como "Willy" no famoso filme "Free Willy" - 1,2 e 3.


A vida da famosa Orca não foi tão glamurosa como a vivida no filme. Keiko foi capturada da natureza em 1979 aos 2 anos de idade, e a partir de então viveu em cativeiro. 

Depois das filmagens a baleia foi vendida à um parque aquático no México, e é aí que a maior parte dos seus problemas começaram.

Keiko foi sempre um animal de saúde mais frágil, mas que piorou muito depois da sua estadia no México. Ativistas e muitas pessoas se comoveram com o caso e campanhas foram feitas para "libertar Keiko".

12 milhões de dólares foram gastos durante os dois anos de reabilitação.  



Finalmente em 1998 a "Free Willy" voltou a natureza, nas geladas águas da Islândia e Noruega. Cinco anos depois ele morreu de pneumonia.

 

Até os dias atuais a volta de Keiko à natureza era divulgada como um "dos grandes sucessos da reabilitação", mas um dos treinadores envolvidos no processo resolveu contar o que realmente aconteceu.

"Killing Keiko: The True Story of Free Willy's Return to the Wild" ("Matando Keiko: A verdadeira história do retorno de Free Willy à vida selvagem"), de Mark Simmons foi lançado para mostrar que o "sucesso da reabilitação" não foi real, pois Keiko nunca viveu como uma baleia selvagem. 


O autor afirma que a operação foi sabotada por organizações que buscavam um "final hollywoodiano"

"A decisão (de libertá-lo) nunca foi feita para o interesse de Keiko", garantiu Simmons, que escreve em seu livro que Keiko se tornou uma baleia solitária e assustada, "condenada a fome, desidratação e morte".

Orcas são animais sociais, e devem participar de um círculo para sobreviver. Por causa dos esforços "mal orientados" pelos encarregados pela libertação de Keiko, o primeiro contato da baleia com outras orcas foi traumático, Simmons escreve. Keiko foi apresentado a um círculo governado por um macho agressivo e maior. Além disso, as baleias do ambiente acabavam submetidas sistematicamente a biópsias, que as estressavam.

Após a sua libertação, Keiko foi da Islândia até os fiordes da Noruega, onde foi procurar companheiros humanos e onde crianças podiam ser vistas nadando com ele e subindo em suas costas. Ele nunca se juntou a outras orcas e viveu sob cuidados humanos até a sua morte.

O que realmente aconteceu nunca iremos saber com certeza, a única coisa que podemos fazer é ler sobre o assunto e criar nossa própria opinião - desculpa pelo post longo!

Boa semana para todos!
Verônica Pardini, DVM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, agosto 12, 2014

Voa Voa coisinha mais fofa!

Eu tive um ótimo final de semana e um começo de semana também, por isso estou no clima de deixar todo mundo de bom humor através de um dos posts mais fofos já publicado aqui no blog.

Quem aqui já ouviu falar sobre o "esquilo anão voador japonês"?


Esta criaturinha trabalhada na fofura não passa de 220gramas e 34cm (considerando já um rabinho de 14cm).


São animais noturnos (obviamente pelo tamanho dos seus olhos) que dormem em buracos nas arvores durante o dia e comem frutinhas, sementes, folhas e madeira durante a noite.


E por último.....não podia faltar uma foto desse esquilinho voador....VOANDO!


Uma ótima semana para todos!
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, agosto 04, 2014

Guia do proprietário de primeira viagem: Aves - Qualidade da água

Sempre que atendo uma ave, procuro conhecer todo o manejo da mesma, já que a maioria das doenças podem ser evitadas (ou minimizadas) através de um manejo correto.

Uma parte desse manejo, muitas vezes negligenciada pelo proprietário é a qualidade da água.


 A qualidade da água oferecida à sua ave é de extrema importância, já que ela é essencial para a termorregulação, manutenção de fluídos intra e extracelulares, transporte de nutrientes, entre mil e outras funções.  

A água, por si só, já propicia um ambiente bom para o crescimento bacteriano, mas algumas situações podem otimizar essa proliferação, como por exemplo:
  • Um bebedouro aberto (que muitas vezes pode ser contaminado por fezes e/ou comida), tem uma rápida proliferação de bactérias
  • A água suplementada com vitaminas pode ter a contagem de bactérias aumentada em 100% em 24horas.
  • Comidas com alto teor de água como "papinhas de filhotes", mistura com farinha de ovos, frutas e vegetais são ambiente excelentes para a proliferação de bactérias. Em temperaturas mais quentes esses alimentos pode se tornar contaminadas em menos de 4 horas.
Por esses motivos, trocar a água e lavar o bebedouro diariamente, ou de preferência a cada doze horas, evita que o número de bactérias aumente exageradamente.

Além disso, é importante não deixar os alimentos úmidos expostos por tempo prolongado.

Uma última observação importante: A quantidade de água ingerida está diretamente relacionada com a dieta oferecida - dietas baseadas em ração, por serem mais secas, com baixo teor de gordura e com mais nutrientes aumenta a quantidade de água ingerida.

Boa noite,
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, agosto 01, 2014

Mike, o frango sem cabeça

Já li muitas histórias bizarras, mas essa conseguiu me impressionar. Peço a todos aqui que tem o estômago fraco, para não continuar lendo este post.



Para os que não se impressionam facilmente, eu lhes apresento Mike, o frango sem cabeça.


Tudo começou em setembro de 1945, quando a família Olsen decidiu comer frango no almoço. O marido, Lloyd Olsen, foi até o quintal achar o frango mais gordinho para a refeição, Mike foi o escolhido.

Como de costume, Lloyd colocou o frango em uma mesa, preparou o seu machado e deu o golpe, que deveria ter sido fatal.

Mas algo muito estranho aconteceu, Mike logo se levantou e começou a andar e fazer o que todo frango faz - se empoleirar, ciscar e todo o resto.

 
Lloyd ficou surpreso quando acordou no dia seguinte e viu a ave "dormindo"! Naquele momento ele percebeu que Mike era especial e já que o franguinho tinha tanta vontade de viver, ele iria dar um jeito de dar água e comida para o frango - através de um conta gotas.


A universidade de Utah estudou o animal, e eles descobriram que o machado errou a jugular, e que um coagulo evitou que Mike sangrasse até a morte, outras duas estruturas foram poupadas: um dos ouvidos e a mais importante, o tronco enfefálico - este último permitiu que o animal continuasse saudável e vivendo como um frango normal.

Mike viveu bem e com saúde por 18 meses, ele só faleceu, pois em uma noite durante a sua turne, ele acabou engasgando e Lloyd não achou o conta gotas para salva-lo.

Todo mês de maio a cidade de Fruita, no Colorado celebra a vontade de viver do frango com o "Annual Mike, The Headless Chicken Festival" .

Que história, né?
Bom final de semana para todos.
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, julho 29, 2014

Por que os cachorros gostam de cheirar o bumbum um dos outros?

Essa é uma pergunta que não quer calar.

Sempre quando você esta passeando com o seu cachorrinho e um outro se aproxima você já sabe que vai começar o "ritual de cheira bumbum", um corre atrás do outro, outro corre atrás de um, mas os dois tem um único objetivo em mente: cheirar o bumbum alheio.



Mas por que isso?

Para se conhecerem melhor. Próximo ao ânus dos cachorros existe glândulas adanais, essas glândulas liberam um odor que varia conforme a alimentação do animal, sexo, saúde e estado emocional. Apenas cachorros conseguem diferenciar esses odores, afinal eles tem um olfato de 10.000-100.000 mais poderoso que o nosso.

Outro fato interessante é que eles tem um sistema sensorial específico para essas "comunicações químicas" chamado de orgão de jacobson (localizado na região de boca e nariz) que manda as informações direto para o cérebro, sem precisar da ajuda da cavidade nasal.

E ai o que acharam?
Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, julho 24, 2014

Como a guerra afeta os animais

A semana acaba mas a guerra entre Hamas e Israel continua.

Em meio a tanta violência e morte, um vídeo tocante foi filmado no Zoológico de Ramat Gan, próximo a Tel Aviv.

Durante o tocar de um alarme de emergência na região, avisando a população sobre novos ataques aéreos, os elefantes do zoológico se reuniram em volta de seus filhotes tentando protegê-los do que estava por vir.

Assista o vídeo:



O ódio entre os seres humanos afeta todos os seres vivos - me parte o coração só de pensar o que se passa na cabeça desses animais durante um ataque.

Espero que um dia os seres humanos sejam mais parecidos com os animais....
Boa noite,
Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, julho 22, 2014

Agenda: AAZV conferece 2014 - Workshops

Ufa! Consegui responder todos os comentários e emails mandados em junho - peço novamente que confiram seus emails ao mandar mensagem, senão minhas respostas não vão, ok?

Minha WiFi ainda não está funcionando, por isso escrever o post hoje esta sendo um teste de paciência, já que o 3G definitivamente não facilita a minha vida - mas devagar e sempre, não é mesmo?

Prometi que iria contar um pouco mais sobre a AAZV conference 2014. E uma das partes mais legais dessas conferências são os workshops, quer saber quais os workshops você pode escolher?

1. Sharks and Rays: Medicine 101 - foi o que eu escolhi uhulll! 
2. Elephant Care and Diagnostics.
3. Emergency procedures in small patients: Mammals and Birds.
4. Fish Necropsy and Pathology Workshop.
5. Captive Wildlife Veterinary Disaster Planning Principle.
6. CL Davis/AAZV 21st Annual Zoo and Wildlife Pathology Workshop - 2014.
7. Hoof Trimming: Using Species Specific Conformation and Hoof Mapping to Guide the Trim.
8. Hoofstock Ultrasound: Thorax and Abdomen in Small Ruminants and Equids.
9. Manatee Rescue and Rehabilitation.
10. Parasitology Challenges: Advanced Alternatives for Control.

....mais alguns outros que ensinam coisas mais burocráticas.... - como não é tão divertido não coloquei aqui, mas através deste link você encontra os resumos, valores e datas de cada workshop!

Meu workshop será realizado aqui! The Seas no Epcot!

Os workshops tem limite de participantes, então se você tem interesse, se inscreva o quanto antes!

Não perca a oportunidade de conhecer os melhores veterinários de animais selvagens do mundo e de aumentar o seu conhecimento de uma maneira muito divertida!
Verônica Pardini, DVM  Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, julho 17, 2014

Ciclopes.....verdade ou ficção?

Ciclopes.....verdade ou ficção?

Os gigantes de um único olho comedores de homens relatados na mitologia grega realmente não são reais - Ufa!!

Ciclopes da mitologia grega
Mas um outro tipo de ciclope é real.

A ciclopia é uma alteração genética rara que causa o desenvolvimento de apenas um olho e o não desenvolvimento ou subdesenvolvimento do nariz, os animais com esse defeito geralmente não chegam a nascer, ou morrem logo após o nascimento.

O que eu acho interessante é que várias espécies podem ser afetadas, aqui vão alguns exemplos:

Jabuti
Bezerro
Gato
Tubarão
A causa dessa deformidade pode ser genética ou por toxinas.

**Decore para a prova de validação: Uma das plantas conhecidas como causadora da ciclopia quando ingerida durante a prenhez é a Veratrum californicum.

Veratrum californicum

E o que vocês acharam?
Bom final de semana a todos!

Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...