terça-feira, novembro 12, 2013

Hiperestrogenismo/ Hiperadrenocorticismo em ferrets

Percebi agora que nunca fiz um post sobre os ferrets! Então hoje vou contar sobre uma doença que afeta este mustelídeo.


O Hiperestrogenismo/ Hiperadrenocorticismo tem como sinais clínicos:
  • Alopecia bilateral.
  • Comportamento agressivo.
  • Fêmeas: vulva edemaciada - com secreção.
  • Machos: obstrução uretral; disúria.

Em casos crônicos podemos ter outros sinais:
  • Anemia - supressão medular.
  • Atrofia muscular.
  • Fraqueza e letargia.

Estes sinais geralmente são secundários à um tumor na adrenal.

Animais castrados têm mais predisposição à doença (altos índices de LH causados pela castração estimulam as adrenais e predispõe o crescimento de tumores).

Mesmo essa doença sendo chamada de hiperadrenocorticismo não podemos comparar com o hiperadrenocorticismo em cães - cães têm os níveis de cortisol elevados, já os ferrets tem aumento de estrogênio.


O diagnóstico consiste do histórico, sinais clínicos, exame ultrassonográfico (se as adrenais estiverem normais não descarta a possibilidade do animal ter a doença) e teste dos hormônios sexuais.

VC = Veia Cava; Setas apontam a adrenal afetada.

O tratamento mais eficaz é a adrenalectomia, mas isto nem sempre é possível devido a proximidade da glândula com a veia cava. Quando a cirurgia não é recomendada recorremos ao tratamento médico com Melatonina e/ou Lupron (hormônio sintético que diminui a liberação de estrogênio).


Lembre-se este texto é para referência e aprendizado! Se o seu animal está "estranho" leve ele à um VETERINÁRIO especializado ok?

M.V. Verônica Pardini
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário