terça-feira, junho 11, 2013

Intubação de saco aéreo em aves

A intubação de saco aéreo é um procedimento que não ensinam na faculdade e que ainda não é amplamente utilizada no Brasil, mas pode ser de extrema importância em algumas situações:

Motivos para utilização:
  • Ventilação de aves por uma via diferente da endotraqueal.
    • Quando há corpo estranho, granulomas ou tumores obstruindo a traqueia.
  • Anestesia inalatória de aves por uma via diferente da endotraqueal.
    • Em cirurgia de cabeça e traqueia.
  • Medicar os sacos aéreos diretamente.

Materiais necessários:

  • Cânula específica para intubação de saco aéreo, que pode ser substituída por tubo endotraqueal esterilizado ou cateter  (dependendo do tamanho do animal).
  • Lâmina de bisturi (nº 11 ou 15).
  • Uma pinça hemostática mosquito.
  • Um porta agulha.
  • Uma tesoura.
  • Material de sutura.
  • Campo cirúrgico.
*É um procedimento cirúrgico! Tudo deve estar esterilizado!

Método:
  • Em passeriformes, psitacídeos e columbiformes o objetivo é intubar os sacos aéreos caudais.
  •  A ave é colocada em decúbito lateral e a pata de cima é puxada cranialmente.
    (a) Local onde a cânula deve ser inserida (b) posicionamento da ave durante o procedimento.
  • Local onde a cânula será colocada: entre a junção da borda caudal da última costela e do músculo flexor cruris medialis.
 
(a) Pata puxada cranialmente (b) Borda caudal da costela (c) Músculo flexor cruris medialis (d) Sacro
  • Retirar as penas, e fazer assepsia da pele.
  • Uma pequena incisão é feita na pele, e com a pinça hemostática mosquito você disseca o músculo e entra no saco aéreo. 

  • A pinça é levemente aberta e a cânula é inserida no saco aéreo.
  • Uma pena pode ser colocada na ponta da cânula para comprovar que foi colocada no local certo. 
    • Cuidado para a pena não ser inalada!
  • Suturar a cânula na pele.
  • Fazer um exame radiográfico (posição latero-lateral e ventro-dorsal) para garantir que a cânula está no local certo e que não está afetando nenhum órgão interno.
Complicações:
  • A cânula pode permanecer no animal por até 7 dias, mas o ideal é remover no 4º dia - quanto mais tempo permanecer no animal, maior o risco de infecção bacteriana e fúngica.
  • Lesão em saco aéreo.
  • Lesão em órgãos abdominais (hemorragia!). 
  • Entupimento da cânula com fluido ou exsudato.
Lembre-se este texto é para referência e aprendizado! Se o seu animal está "estranho" leve ele à um VETERINÁRIO especializado ok?

Texto baseado em matéria publicada por: Cindy Brown, DVM, Dipl. ABVP-Avian; Ocean Sate Veterinary Specialists East Greenwich, Rhode Island and Anthony A. Pilmy, DVM, ABVP (Avian)2
1Red Bank Veterinary Hospital, Tinton Falls, NJ, USA. 2The Center for Avian and Exotic Medicine, New York, NY, USA.


M.V. Verônica Pardini

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário