terça-feira, abril 30, 2013

Dermatite vesicular em serpentes

Inglês: Blister disease.

Muitos problemas em serpentes são causados por manejo errado e a dermatite vesicular (ou doença da bolha) é um dos mais comuns.

Se a serpente não é mantida limpa e seca, esta doença é quase inevitável (se ela vive em um local muito úmido e sujo as escamas apodrecem e necrosam).

Como previnir?
  • Manter seu animal em ambiente ventilado, limpo e seco.
  • Observe a serpente frequentemente para ver se não há sinais da doença da bolha.
Sinais clínicos:
  1. Bolhas com líquido claro dentro.
  2. Bolhas se contaminam com bactérias.
  3. Pele ao redor das bolhas apodrecem e necrosam.
  4. Ulcerações no local da bolha.
  5. Bactérias podem se disseminar para os órgãos internos do animal causando septicemia e morte.
Fase inicial da doença.


Estágio avançado e grave da doença.

Tratamento:
  • Tratamento imediato é essencial.
  • As escamas necrosadas são retiradas, o local é limpo e a serpente é tratada com antibiótico.
  • Limpar gaiola, durante o tempo de recuperação trocar o substrato por toalhas.
  • Correção do manejo.
Quando tratada no começo da doença as lesões cicatrizam....
....e o animal se recupera totalmente.

** Se a serpente ainda está ativa e comendo ela tem boas chances de se recuperar.

Lembre-se este texto é para referência e aprendizado! Se o seu animal está "estranho" leve ele à um VETERINÁRIO especializado ok?

M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, abril 29, 2013

A primeira palavra do dicionário!

Hoje vou falar um animal estranho mas muito querido....ele tem semelhanças com porcos e tamanduás, mas é de uma ordem completamente diferente! Já ouviram falar no Aadvark?

Meu primeiro Aadvark no Memphis Zoo
Bom o Aadvark (Orycteropus afer), que em africâner significa porco-da-terra, é um mamífero africano, o único representante vivo da ordem Tubulidentata.


São classificados em uma ordem a parte, pois tem uma dentição única.

Os dentes crescem continuamente (quando os dentes da frente caem eles são substituidos pelos dentes da parte de trás da boca).

Habitat: planícies e savanas do sul da África.

Peso: 40-100kgs.

Alimentação: formigas e cupins (eles têm uma língua pegajosa e longa), outros insetos, pequenos roedores e frutos.

Olha a língua deles!
 Excelente escavador (conseguem enterrar-se completamente no solo em menos de um minuto (como eles não ficam em um único local, outros animais se utilizam destes buracos... existem espertinhos na natureza também hehe!)).

Hábitos: noturnos e solitários.

O Aadvark fez e faz parte da cultura popular, podemos encontrá-lo em desenhos, quadrinhos e jogos!:

Arthur (desenho).

Esse é o aadvark com menos cara de aadvark da face da Terra! Para mim esta mais para castor.
A formiga e o Aadvark (desenho da década de 70 que teve apenas 17 episódios, na versão brasileira trocaram o Aadvark por um tamanduá).


Zoo Tycoon 2: African adventure (jogo).

Cerebus, o Aadvark (história em quadrinhos).

Haha ver um animal tranquilo como o Aadvark como herói de histórias em quadrinho não combina muito.
Viu como ele é super estressado? Eles dormem muito, e nas posições mais estranhas!

Espero que vocês tenham gostado!
M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, abril 26, 2013

As famosas"sementes de girassol"

Eu sei que hoje seria dia de falar sobre como cuidar da sua calopsita, mas o assunto vai ser focado para psitacídeos em geral.
Já tinha outro post preparado, mas decidi que este seria mais importante e mais urgente.

A frase abaixo deve ser lembrada pelo resto da sua vida, e se possível passe o conhecimento para o vizinho, parente, amigo.... as aves no mundo agradecem!

"Semente de girassol é chocolate!!"


Já imaginou se você comesse apenas chocolate a sua vida toda?? Como será que você estaria após uns 10 anos? Gordo, fraco, com mil deficiências nutricionais, osteoporose.... e mais várias outras doenças. Horrível não é mesmo?

A mesma coisa acontece com psitacídeos alimentados apenas com semente de girassol. Essa dieta inadequada causa deficiência principalmente de vitamina A, cálcio e é rica em gordura, o que acarreta vários problemas de saúde (problemas no coração, no fígado, nos ossos, na pele...)

Não estou falando que as sementes devem ser banidas da alimentação, mas elas devem ser consideradas "sobremesa" e não "prato principal". Elas devem ser apenas 10% da alimentação da sua ave.


"Ah... mas doutora, o cara da loja de ração me falou que é essa semente que eles comem e que não precisam mais de nada...". O cara da loja de ração está errado. MUITO errado.

Quer comprar um bichinho diferente? Tudo bem, mas após a compra consulte um veterinário especializado para aprender como manejar este animal de maneira correta.

Tomando os devidos cuidados a sua ave vai viver muitos anos feliz e com menos riscos de doenças.

M.V. Verônica Pardini

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, abril 25, 2013

Coelhinhos saltadores!

Ontem fui dar minha primeira palestra, na semana acadêmica da FAJ (parabéns pela organização comissão!)! Em um próximo post colocarei fotos e contarei sobre esta nova experiência! Foi por isso que não consegui postar ontem, mas hoje estou de volta e com um assunto um tanto quanto diferente!

Há muitas competições estranhas neste mundo, mas nenhuma tão fofa quanto a Sueca "Kanihopping" - ou em português, competição de salto de coelhos!


Sim, isto é um coelhinho! Eles saltam sobre obstáculos parecidos com aqueles em competições equestres.
Este esporte existe desde 1980, os donos guiam os animais com uma coleira pelos obstáculos e ganha a dupla com menos erros de percurso e menor tempo.


Há relatos de coelhos que saltam até 1 metro (incrível não é mesmo?)!!

Como vocês podem ver no vídeo, essas competições além extremamente fofissímas são coisa séria!


Cada coisa que a gente descobre, né? haha
Espero que tenham gostado!

M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, abril 23, 2013

Ictiofitiríase

Agente: Ichthyophthirius multifiliis (protozoário).

Inglês: White spot disease or Ich.

Doença muito comum.
Pode infectar todas as espécies de peixe.



Patologia:

O parasita forma nódulos no subcutâneo ou no epitélio das guelras (brânquias).  
  • Ele se alimenta de células mortas e fluídos corporais até ele amadurecer.
  • Depois de maduro ele sai da pele e se prende a um objeto e forma uma cápsula ao redor dele.
  • Nesta cápsula o parasita se divide mais de 1000 vezes, quando a divisão acaba ele se liberta e nada de volta à um hospedeiro (peixe).
  • O ciclo recomeça (a cada ciclo o número de parasitas aumenta drasticamente).
    • A 7°C o ciclo demora 6 semanas.
    • A 25°C o ciclo demora 1 semana.
   

Grandes quantidades de parasitas causam graves lesões nos tecidos, que pode levar à infecções secundárias (bactérias e/ou fungos).

Diagnóstico:

Observação de cistos brancos na pele, brânquias e nadadeiras (parece que jogaram sal no peixe) - no começo da doença o animal pode se esfregar em objetos, e em estados mais avançados o animal se torna letárgico e fica a maior parte do tempo no fundo do aquário. Dependendo da fase da doença o peixe pode não apresentar estes cistos!!


Raspado da pele: observa parasitas escuros e redondos que giram vagarosamente, seu tamanho é variado (mas é bem maior que a maioria dos outros parasitas de peixes),muitas vezes é possível ver um núcleo mais claro com formato de ferradura e pequenos cílios que cobrem o corpo do parasita.
 
Ichthyophthirius multifiliis

Tratamento:

Só os parasitas que estão "nadando" são mortos pelo tratamento. Portanto é necessário um tratamento prolongado para matar os novos parasitas.

Malaquita/Formalina.
  • Precisa de 4 tratamentos - piora muito a qualidade da água.
  • Cuidado com a malaquita! Há relatos que sua toxicidade aumenta conforme a temperatura da água aumenta.
Imersão prolongada em sal (2-4 ppt).
  • Monitorar a água constantemente durante o tratamento - mas a qualidade da água não é muito afetada, cuidado com picos de nitrito.
  • Demora mais que o tratamento com malaquita/formalina, mas os resultados são melhores.
  • Atenção: Nem todos os peixes toleram este tratamento!!
Acreditam que peixes que são curados se tornam mais resistentes a futuras infecções.

Em Oklahoma descobriram uma cepa desta protozoário que não precisa sair do peixe para completar o seu ciclo, o que atrapalha muito o tratamento.

Lembre-se este texto é para referência e aprendizado! Se o seu animal está "estranho" leve ele à um VETERINÁRIO especializado ok?

M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, abril 22, 2013

O dia da Mãe Terra: Ontem, hoje, amanhã e depois, depois, depois....


Hoje, o Dia Internacional da Mãe Terra - é uma data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2009 para marcar a responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza e a Terra e alcançar um balanço entre economia, sociedade e ambiente.


"O Dia Internacional da Mãe Terra é uma chance de reafirmar nossa responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza em um tempo em que nosso planeta está sob ameaça da mudança climática, exploração insustentável dos recursos naturais e outros problemas causados pelo homem. Quando nós ameaçamos nosso planeta, minamos nossa própria casa - e nossa sobrevivência no futuro", diz mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.


O Dia da Terra na história:
  • O primeiro Dia Nacional da Terra ocorreu em meio ao movimento hippie americano, em 1970. 
  • A ideia de uma data para marcar a luta pelo ambiente veio do senador Gaylord Nelson, após este ver a destruição causada por um grande vazamento de óleo na Califórnia, em 1969. 
  • No dia 22 de abril de 1970, 20 milhões de pessoas nos Estados Unidos saíram às ruas para protestar em favor de um planeta mais saudável e sustentável. Foi um raro momento que juntou até mesmo democratas e republicanos.

Atividades para o Dia da Terra (porque não extrapolar esse conceito e praticar essas atividades durante o ano todo?):
  • Plante uma árvore;
  • Pinte um desenho do planeta Terra;
  • Incentive a reciclagem - pratique a reciclagem!
  • Faça uma limpeza na escola, casa, bairro - ou no mínimo não suje, lugar de lixo é no lixo!
  • Use menos energia, desligue as luzes quando possível - o mesmo vale para a água!
  • Adote um animalzinho - sempre consciente que este animal vai precisar de cuidados, e que ele vai envelhecer.... NUNCA abandone! 

Vamos cuidar deste planeta que nos acolhe! Preserve, cuide, respeite a natureza - não apenas hoje, mas todos os dias! 

M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Hora de comemorar as 1500 visualizações: A nova casa da girafinha!!

A girafinha finalmente chegou na sua nova casa!!


O vencedor André Fajan!
O vencedor André Fajan!
 Rose e André, a nova família da girafinha!

Quero agradecer muito ao André e a Rose por mandarem essas fotos lindas! Tenho certeza que ela será muito bem cuidada :)


Logo logo teremos um novo sorteio! Fique ligado no blog para maiores informações! :)
M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, abril 19, 2013

Guia do proprietário de primeira viagem: Calopsita (Origem e Cores)

Hoje é dia de começar a explicar sobre o manejo e biologia de um novo animal! A escolhida da vez são as populares calopsitas! Será que você sabe tudo o que precisa para criar uma dessas aves? Fique de olho dos posts toda sexta feira e descubra!

Nome científico: Nynphicus hollandicus ("Deusa da Nova Holanda")
Originária da Austrália.
É a menor espécie da família das Cacatuas.

"Por volta de 1884, a Calopsita já se encontrava bem estabelecida nos aviários europeus, entretanto, como na natureza só existia um padrão de cor, a disseminação maciça dessa ave somente ocorreu a partir da primeira mutação, era o Arlequim, pouco antes de 1950. A partir daí, outros padrões de cores foram surgindo, ganhando então a Calopsita, enorme popularidade, sendo hoje um dos pássaros mais criados do mundo."

Cinza ou Normal (Normal Grey): Essa é variedade selvagem original.

Canela (Cinnamon): As aves são semelhantes ao padrão normal, com exceção da alteração na coloração da melanina, produzindo uma coloração marrom-claro (ou canela). 


Pérola: Mutação que afeta as penas individualmente (há uma falta de melanina no centro de cada pena, individualmente), fazendo com que haja uma falta de coloração uniforme, resultando em penas com coloração em forma de concha.

Lutino: O mais popular e apreciado, são pássaros de cor dominante branca, com olhos vermelhos, pés rosados, crista amarela, bico marfim, cabeça amarelada com bochechas vermelhas.


Arlequim: Mutação que causa alteração ou disrupção da coloração normal em áreas randômicas. Esse padrão é muito variável e se apresenta em aves bastantes semelhantes ao normal, até aquelas com poucas áreas de cor cinza, predominando o amarelo claro e apenas algumas penas de coloração cinza. 

Cara branca (Whiteface): Essa mutação causa perda do pigmento psitacina (que confere tons amarelo e laranja), causando a falta da pigmentação laranja e amarela nas bochechas e no corpo.


Albino (Whiteface Lutino): Ave inteiramente branca, com os olhos vermelhos e pés rosados, com ausência total de qualquer pigmentação (na realidade, resultam da combinacao de duas mutações: lutino e cara branca). As fêmeas são mais fáceis de ser encontradas, por ser um padrão com herança ligada ao sexo.


Cara amarela (Yellowface ou Yellowcheek): São em tudo semelhantes aos demais padrões, diferindo apenas na cor das bochechas, que, ao invés de serem vermelhas, mostram-se amarelas.


Prata Dominante: São aves que apresentam a cor cinza do padrão normal diluída, mostrando um tom pastel prateado. Os olhos e pernas são pretos, as pernas cinzas, mantendo o amarelo forte das faces e da crista e o vermelho das bochechas, com um prateado mais escuro na região do pescoço. 

Oliva ou Esmeralda (Olive ou Spangle ou Emerald Green)
Se caracteriza, basicamente, por uma coloração canela-esverdeada, podendo variar de claro a escuro, e um padrão de marcação das penas muito característico (que as pessoas denominam padrão de lantejoulas, ou spangled no inglês).



Platinum: Há uma confusão com relação a esse nome, uma vez que na América do Norte chamam de Platinum aves prata dominante. Essa mutação se caracteriza por uma coloração “cinza-fumaça” clara (como eles mesmos definem: smokey-grey), com asas e cauda cinza mais escuro. Bico, pés e pernas são bege-claro Os olhos são vermelhos ao nascer, mas escurecem logo em seguida.


Espero que vocês tenham gostado!
M.V. Verônica Pardini
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, abril 18, 2013

Branca de listras douradas, ou dourada de listras brancas?

A genética as vezes falha, e animais diferentes e raros nascem!


Zoe, uma zebra de rara coloração, nasceu em 1998 no Hawaii. Ela mora no Three Ring Ranch Organization
Ela NÃO é um animal albino, ela é uma zebra AMELANÓTICA, suas listras são douradas e seus olhos são azuis.


Animais com essa alteração genética quando nascem na natureza não sobrevivem mais do que alguns dias, pois sua camuflagem é falha (ela não consegue se misturar com o resto do grupo).

Zebras amelanóticas não são comuns! Em cativeiro atualmente existem apenas duas, e historicamente temos o registro de quatro animais!

Zoe é um animal saudável, a única alteração notada é uma deficiência na sua visão noturna. Por poder adoecer mais facilmente do que animais "normais" ela é monitorada constantemente para doença renal, câncer de pele e queimaduras.

Zoe não será usada para reprodução.

Linda demais, não é?
M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, abril 17, 2013

A jornada rumo ao sonho americano (NAVLE Parte1)

Finalmente estou de volta! Fui ao Rio de Janeiro (legal né?), mas infelizmente não tive tempo para aproveitar as belas praias. Parece que quando você tem que ficar preso dentro de uma sala por 7 horas o céu fica mais azul, os passarinhos cantam alegremente, o mar fica mais bonito.... tudo conspira contra a sua vontade de fazer uma das provas mais importantes (e difícil) da sua vida.


Sobre o que estou falando? Sobre o NAVLE (North American Veterinary Licensing Examination). Ontem realizei esta prova, e hoje estou aqui para contar em primeira mão para vocês como foi esta experiência.

Sabe quando parece que seu cérebro vai explodir e você se sente meio amortecido? Bom, foi assim que eu me senti após as 360 questões e 6:30horas de prova (sim, aproximadamente 1 minuto por questão....e não, não é o suficiente). Por sorte eu respondi todas as perguntas, e agora é hora de torcer para todo o esforço ter valido a pena! 

Em um próximo post eu vou falar sobre a "application" e explicar essa parte mais técnica e burocrática do exame (mas sinceramente hoje não estou com cabeça para isso, meu cerébro ainda não se recuperou totalmente haha). 

Mas ai vão algumas dicas para você conseguir responder todas as perguntas:
  • Esteja 100% focado.
  • Entenda o enunciado na primeira vez que você o ler.
  • Não importa o quanto você estude, têm muitas perguntas que você não terá certeza sobre a resposta. Então vá por eliminação das alternativas... e escolha a alternativa que você considera "menos pior". 
  • Não enrole muito em cada questão, se você não sabe a resposta....chute! Você até pode voltar à essa questão depois, mas a chance de você ter tempo para rever essas questões ao final da prova é mínima (não sobra tempo!).
  • Controle o seu tempo! Tenha certeza que você terá pelo menos de 45 segundos a 1 minuto para responder a última questão.
  • Mantenha a calma! 
  • Você tem direito a intervalos entre os blocos de 60 questões, utilize pelo menos 1 "break" para dar uma alongada, ir ao banheiro.... respirar um pouco (faz diferença).
  • O local da prova oferece um fone laranja de ouvido que não deixa você escutar nada a sua volta...USE! Ajuda muito a concentrar.
Eu saí da prova sem ter idéia de como eu fui...muita coisa eu sabia, muita coisa eu não tinha certeza. Mas de acordo com os meu amigos que já prestaram a prova todo mundo sai sem saber se passou ou não.
Pior parte? Temos que esperar 1 mês até sair o resultado (tortura!!).

Bom era isso que eu tinha para contar para vocês hoje, agora é hora de descansar e tentar pensar em alguma coisa além do resultado!

M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, abril 13, 2013

Bom sábado!

Espero que todos estejam aproveitando este sábado! 
Achei esta charge muito simpática e decidi compartilhar com vocês! (a tradução está na legenda)

Tradução: "Relaxa... ele só está fazendo snorkel"

Um ótimo final de semana para todos vocês!
M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, abril 12, 2013

Semana acadêmica da FAJ!

Interessados em medicina de animais selvagens? A Faculdade de Jaguariúna tem uma programação na sua semana acadêmica especial para você!


Acesse este link para maiores informações: SAVET FAJ!

Não percam esta oportunidade! :)
M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Guia do proprietário de primeira viagem: Jabuti (Alimentação)

Hoje o assunto é de extrema importância! Geralmente a maioria dos meus pacientes jabuti vem à mim por causa de erros na alimentação. 


Vou passar 4 regrinhas que são necessárias para manter seu animal saudável, vamos lá!

Lembre-se:
Jabutis são onívoros (alimentam-se de vários tipos de folhas, flores, frutos, verduras e de proteína animal, como pequenos vertebrados, minhocas, insetos e carne em menor freqüência).

Regra nº1:
Nunca dar "comida de gente". Nunca dê arroz, feijão cozido, carnes de panela e muito menos coisas temperadas. 

Regra n°2:
Rações especialmente para Jabutis e de marcas confiáveis, são altamente recomendadas, pois possuem um mix completo de nutrientes, proporcionando um bom crescimento ao animal.




Regra n°3:
Mesmo oferecendo ração, o ideal é que a alimentação seja composta de (sempre lembrar que diversificação do que é oferecido é essencial!!):
  • 85% de vegetais (folhas de mostarda, folhas de beterraba, agrião, couve, rúcula, espinafre, cenoura, pétalas de rosas, folhas e pétalas de hibiscos, sementes de feijão branco e feijão verde, ervilhas, lentilhas, milho, legumes variados, como a cenoura, beterraba, vagens, abóboras, batata doce, etc).
  • 10% de frutas (uva, abacate, maçã, pêra, abacaxi, morango, manga, mamão, melão, banana, tomate, figo, melancia, amora, nectarina, pêssego, etc).
  • 5% de proteína animal (suplementos alimentares, carne moída crua, ração de cachorro, ração de gato (em pequenas quantidades), ovos cozidos com casca, insetos (tenébrios monitores, minhocas...), etc).
Regra n°4: 
Quando em cativeiro é necessário a inclusão de suplementos alimentares, principalmente de cálcio.

Meus jabutis e meu coelho se deliciando nas frutinhas!
Seguindo estas regras você consegue evitar várias doenças nutricionais e fortalece a imunidade do jabuti.

M.V. Verônica Pardini

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, abril 11, 2013

Um pequeno pesadelo que brilha no escuro.

Garras e ferrões venenosos já seriam o suficiente para tornar o escorpião uma das espécies mais assustadoras do planeta. Mas para ajudar, eles ainda têm a habilidade, sem explicação, de brilhar em uma cor azul quando expostos à luz ultravioleta.


Na verdade, se a lua brilhar intensamente (lua cheia) já é o suficiente para fazer os escorpiões brilharem no escuro.

Algumas teorias sobre o motivo desta habilidade foram criadas: 
  • Ajuda eles a acharem outros escorpiões no escuro.
  • Ajuda a atrair presas.
  • Pode funcionar como um protetor solar.
  • Não serve para nada.
Nenhuma dessas teorias é bem aceita, mas um pesquisador na California chamado Carl Kloock talvez tenha achado uma explicação melhor:
"Eles podem usar a luz UV como uma maneira de determinar se é seguro sair para caçar!"


Os escorpiões são criaturas noturnas, e aparentemente eles evitam contato com qualquer luz ultravioleta, inclusive a da lua. Portanto sua capacidade de brilhar no escuro funciona como um detector de luz UV, indicando quando é melhor ficar escondido. Quando a lua não está cheia, eles se tornam mais ativos, pois eles conseguem sair de suas tocas sem brilhar.

Com certeza são mais aterrorizantes que qualquer vampiro que brilha em contato com a luz solar hehe

M.V. Verônica Pardini

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, abril 10, 2013

O que um labrador e um golfinho tem em comum?

Nada! Eles não tem nada em comum.... tirando que os dois são mamíferos. Mas isso não impediu esses dois animais na Irlanda de começar uma amizade duradoura.
Então porque não começar o dia vendo uma coisa que não se vê todo dia? Vídeos de amizades inusitadas são comuns no mundo virtual, mas essa realmente me impressionou.


Esse cachorro é um ótimo nadador, não é mesmo?! Em um mundo onde fazer amizades verdadeiras é tão difícil, assistir este vídeo me dá uma dose a mais de esperança.

Fofo!!

M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, abril 09, 2013

Medicina de anfíbios: Quitridiomicose

Sabia que sapos também ficam doentes? Hoje vou falar sobre uma das doenças mais devastadoras para os anfíbios, a Quitridiomicose.
  • Agente: Batrachochytrium dendrobatidis (Bd)
    • Fungo.
    • Capaz de infectar quase todas as espécies de anfíbios.
    • Associado com a extinção de algumas espécies.
  • Patologia: A infecção com Bd ocorre no interior das células das camadas externas da pele que contêm grandes quantidades de uma proteína chamada "queratina".
    • Causa uma hiperqueratose (espessamento da pele), que para os anfíbios é uma alteração mortal, pois eles "bebem" água e absorvem sais importantes (eletrólitos) através da pele. Esse desequilíbrio de eletrólitos faz com que o coração do animal pare de bater.
  • Disseminação: através da água.
    • A rã-touro americana é um dos anfíbios resistentes à quitridiomicose (elas se tornam reservatórios do fungo e os transmitem à populações susceptíveis).
  • Sinais clínicos: pele avermelhada, descamação da pele, postura anormal, convulsões. 
  • Diagnóstico:  
    • Se o animal está doente: identificar o fungo em pedaços da pele.
    • PCR.
Coleta de swab para mandar para PCR
  • Tratamento: Banhos com itraconazol.
Lembre-se este texto é para referência e aprendizado! Se o seu animal está "estranho" leve ele à um VETERINÁRIO especializado ok?

M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, abril 08, 2013

Da fantasia à realidade: Dragões!

Pessoas modernas são céticas por natureza. Talvez isso aconteça porque crescemos lendo, ouvindo e assistindo histórias fantásticas, só para descobrir mais tarde que o mundo não é tão emocionante. Monstros não existem. Mágica não existe. Papai noel, Coelho da Páscoa e a Fada do Dente não existem. Mas toda história criada tem um fundinho de verdade!
Vamos dar ao nosso cetismo uma dose de realidade lendo um pouquinho sobre os verdadeiros dragões!

Teorias sobre o que inspirou as histórias de dragão incluem crocodilos pré históricos e ossos de dinossauros, porém nós não podemos chamar estes de dragões verdadeiros, já que os seres humanos nunca conviveram com dinossauros, e os crocodilos eram muito pequenos. É agora que o Megalania (Varanus priscus ou Megalania prisca) entra na história, um ancestral do dragão de komodo que aterrorizava os aborígenas da Austrália. Ele media 8 metros de comprimento e pesava quase 2 toneladas, sua saliva venenosa fazia com que as pessoas sangrassem até morrer.

Megalania
Hoje em dia temos o dragão de komodo (Varanus komodoensis). Talvez não tão aterrorizante quanto o seu ancestral, mas ainda sim fascinante.

Dragão de Komodo
 Características:
  • Habitat: Indonésia.
  • Existe há milhares de anos, mas a sua existência era desconhecida até aproximadamente 100 anos atrás.
  • Carnívoro - são os predadores dominantes da região onde vivem (mesmo se a sua presa fugir após ser mordida, o contato com a saliva do dragão (que contém mais de 50 tipos de bactéria) irá matá-la em 24horas, então o animal segue sua presa até ela vir a óbito).
  • Pode comer até 80% do seu peso em uma única refeição!
  • Longevidade: 30 anos+.
  • Tamanho: 3 metros de comprimento e 150kgs.
  • Em risco de extinção (tem uma população estável de 3000-5000 indivíduos, mas com a morte de algumas fêmeas, eles estão sendo considerados em risco de extinção).
  • Consegue correr até 18 kph em curtas distâncias.
Dragão de Komodo
Para nossa sorte eles não cospem fogo nem voam, não é mesmo??

M.V. Verônica Pardini Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, abril 05, 2013

Guia do proprietário de primeira viagem: Jabuti (recinto)

**Atualizado em 15 de abril de 2018**

Hoje voltamos com as dicas sobre o manejo correto para o seu jabuti! Você sabe como montar o lugar ideal para o seu animal morar?

Aqui vão algumas dicas:

Quando morar dentro de casa:
  • Terrários ou caixas de madeira (comprimento deve ser superior a 10 vezes o tamanho do casco do jabuti, já a largura e a altura devem ter cerca de cinco a sete vezes o tamanho do animal). 
    •  É necessário espaço para o seu jabuti andar
  • A forração pode ser grama natural, carpete para réptil, casca de árvore triturada (forração vegetal para manutenção de répteis) ou mesmo jornal (ideal para filhotes). 
    • Ao andar as patas devem se erguer e retirar seu corpo totalmente do chão, portanto, se ele ficar em piso liso (como taco e azulejo) ele pode ficar deformado. 
  • Necessitam de radiação solar – se o jabuti não tiver acesso à luz solar direta (sem vidro ou plastico entre o animal e o sol) por pelo menos 12 horas semanais (sempre o sol do começo da manhã ou do fim de tarde); devera ter luz artificial que apresente radiação UVB 10h diarias (lâmpadas específicas para répteis). A lâmpada deve ser trocada ha cada 4-6 meses de uso.
  • É necessário também uma fonte de aquecimento (em formato de lampada) - Não utilize rochas ou placas aquecidas!!
    • Mantenha a lampada de aquecimento em um lado do terrario, de preferencia o lado oposto do abrigo, dessa maneira o seu animal tem um gradiente de calor no terrario. Mantenha um termometro do lado quente (ideal por volta de 32C) e um do lado frio (ideal por volta de 20C). 
Exemplo de terrário.

Quando morar no quintal:
  • Geralmente mantidos em ambientes externos cercados, como em jardins.
  • Piso de grama ou outro material não abrasivo.
  • Devem ter abrigos: como tocas de pedra ou casinhas para cachorro.
  • Esse espaço deve permitir a incidência de sol pelo menos durante algumas horas do dia. 
  • Cuidado com lagos e piscinas, porque podem cair e se afogar (lembre-se: jabutis são animais terrestres! Eles NÃO sabem nadar ok?). 
  • Fontes de aquecimento também são necessárias!
Vivendo no quintal
Importante para ambos:
  • Para fêmeas: precisam de terra propícia para a desova.
  • Um recipiente raso com água sempre limpa é imprescindível. 
  • Mantenha o local sempre limpo.
Um jabuti bem cuidado é um jabuti FELIZ :)

Verônica Pardini, DVM Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...